25 de novembro de 2015

Tempo Velho

Eu nem sei de nada, não
minha voz é vento
e eu sussurro tempo
pra você olhar
quanto de doer,
tanto de calar
"procê" se aprumar

Eu quase vi nada, não
eu senti por dentro
mas o pensamento
não dá pra trancar
tanto de perder,
quanto de sangrar
"procê" caminhar

"Pânha" essas "folha",
se banha, se benze
pede "pras alma",
agradece três Ave-Maria

Faz teu caminho de bem
e se "alembra" que
o mundo mais lindo
só tem em pedra pequenina


D.G. nov, 2015
Para Fabi
Para Szègeri



Nenhum comentário: