26 de abril de 2011

ORÍ


Clique aqui para baixar o pacote completo ou ouça e leia no post abaixo

Criva a idéia em palavra.
Cria a memória em movimento.
Rito em tudo que se move:
O que nós somos? O que nós fomos?
E o que seremos?
Quem de nós será livre?

Criva o encontro das palavras, das memórias, dos enredos.
Criva o encontro da molésti
a, dos distúrbios, das conversas.
Cria o encontro das pessoas, da vivência, das estórias.
Teu imaginário é único: denso, tenso e sofrido.

Palpável nas balas perdidas, fatalidades, tragédias ensaiadas num cotidiano de abismo.
Sua música é clássica, carrega a trama que enlaça vidas, que encabeça filosofias,
e que rompe ditas verdades.

Como diz, copio devoto: “Se o samba é triste... é pra ninguém chorar”.
Douglas Germano, poeta único, urbano, de um Brasil sem palavras.

João Marcondes, 20 de novembro de 2009.
Diretor Geral - BAC Discos


1 - Orí (D. Germano)
2000


Em Orí tem um mar

e Orí fez um mar
pra te entregar.
Vá navegar.


A fonte de Erê desaguou, no mar de Orí.
O rio do querer se entregou ao mar de Orí.
O chorar de sofrer que salgou o mar de Orí.
O sereno caiu serenando o mar de Orí.

A corrente do tempo aumentou o mar de Orí.
O dilúvio do medo agitou o mar de Orí.
E a chuva mais justa acalmou o mar de Orí.
Hoje, o olhar marejou desaguando o mar de Orí.



Participação especial: Querida Dulce Monteiro - voz
Júlio César - atabaques
Guilherme Ramos - Violão de 6
batucada e cavaquinho: Douglas Germano

Violão de 7: João Marcondes






2 - Espólio (D. Germano) 2001

Quem sofreu pra eu não sofrer,

calou pra eu não calar,
perdeu pra eu não perder,
partiu pra eu ficar, fez pra me socorrer.


Por mim pagou pra ver, por mim
jogou no mar, pra um dia eu recolher

num frasco azul de olhar, os versos
e o dever de um dia musicar

o seu apelo pra eu pagar pra ver.
O seu pedido pra eu lembrar que:
se o samba é triste, é pra ninguém chorar.





Participação especial: Júnior Pita - violão 7
Júlio
César - atabaques
Percussão e Violão 6: Douglas Germano

Violão solo: João Marcondes
Dedicada ao Júnior que com seu 7
faz também a introdução e o final no baixo



3 - Obá Iná (D. Germano) 2008

Abram caminho para o rei.

Sorriam em vez de se curvar.
Ele é justiça, ele é a lei
que fez pra nos levantar.

Pra nos por em pé, nos erguer
e lançar pra Orum nosso olhar.
Não há justiça se há sofrer,
não há justiça se há temor
e se a gente sempre se curvar.

Kawó Kabiecilè Xangô Oba Iná


Abram caminho para o rei
que se anuncia em um trovão.
Que bravo, escreve o que errei

cuspindo fogo pro chão.
Labareda pra eu me consertar,
fogo pra me aquecer de perdão.
Não há justiça sem ceder,

não há justiça sem amor
e se a gente nunca se entregar.





Participação especial: Júlio César
- atabaques, ferros, xequerê
Violão e ferros: Douglas Germano








4 - Damião (D. Germano/Everaldo Efe Silva) 2006


Dá neles, Damião!

Dá sem dó nem piedade
e agradece a bondade e o cuidado
de quem te matou.

Dá neles, Damião!
E devolve o hematoma.
Bate mesmo, até o coma
que essa raiva, passa nunca, não.

Sangue e suor pelo vão.
Sentir mais a dor, vingar.
Ver respingar o pavor,
quem bateu, levar.

Dá neles, Damião!
Mesmo que peçam clemência.
Faz que é tua essa demência,
faz pesar a consciência do plantão.

Dá neles, Damião!
Mira no meio da cara.
Dá com pé, com pau, com vara.
Bate, até virar a cara da nação.
Dá neles, Damião!
Bate até cansar e quando cansar,
me chama.

À Damião Ximenes Lopes

Violão base, Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Violão 6 pego no antidoping e de 7: João Marcondes


5 - Gota a gota (D. Germano/Everaldo Efe Silva)


Vai dormir com medo de sonhar.
Sempre diz que é bom não acordar.
Mente cabisbaixa a pedir perdão de pensar em paz...
O suor em vão
Ter que desistir de uma ilusão
Do inferno faz um Deus, sua voz, o turbilhão.
Meia noite cai, acordado então
pouco tempo vai, desespero são
Duas horas mais, sua redenção
Vem a morte gota a gota, a labuta, escravidão.
Quem não vai se conformar?
Qual é mesmo o seu lugar?
E a hora de se revelar?
Quatro horas da manhã...
Falta pouco pra acabar
o sono mais tranquilo



Participação especial:
Do parceiro e amigo das horas todas
Everaldo Efe Silva - Voz
Violão e batucada: Douglas Germano
Violão 6, bandolim, piano: João Marcondes





6 - Falha Humana (D. Germano) 2006


Zé cometeu falha humana
ou foi raça humana que falhou com Zé?
Zé cometeu falha humana
ou foi desumana essa raça com o Zé?

Pino era de aço e no meio rachou.
O andaime despenca, Zé também desmontou.
O Doutor leu o laudo mais tarde na televisão
e lá, foi constatado, José o culpado da situação.

Explosivo plantado de repente estourou.
Tudo foi aterrado, Zé também se enterrou.
Assessor lamentava todo o fato na televisão,
mas com cara de dó, destacava
a falha do Zé na explosão.

Caminhão carregado, suspensão arriou.
Tudo vira na curva, Zé também capotou.
Coronel explicava aos berros na televisão
que buraco na pista, não faz motorista tombar caminhão.

Produzia no braço de repente mudou.
O José vira vaga: pra dez Zé, um robô.
Consultor se gabava pra todos na televisão:
“mundo otimizado não permite falha em sua produção."

Violão, Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Violão 6 e Bandolim: João Marcondes



7 - Canção de desmeninar (Canção para ninar fodido) (D. Germano) 2001


Dorme meu herói do morro.

Teu berço sem forro vai te acalentar.
Corre Boi da cara preta.
Não basta careta pra te assustar.
Essa gruta espanta Cuca,
que dirá Bicho papão e Saci,
tem medo de alçapão.


Dorme que estás mais seguro
por trás deste muro que num carrossel.
Dorme que teu sono apaga o limite duro
entre inferno e céu.

Dorme o teu sono à-toa,
aproveita pra sonhar.
Pesadelo mesmo, é despertar.


Violões 6, 7, piano e arranjo: João Marcondes

Esta é uma entre as que fiz para teatro.
Fez parte do espetáculo "Prometeu Enjaulado", Cia Teatro X, 2001.

Era cantada lindamente pela atriz Aidê do Amaral.



8 - Jaci e Maré Cheia (D. Germano/Miltom Conceição) 2001


Quando Jaci traz a maré cheia,

pego meu barco e vou jogarn'água minha mágoa.

Mágoa é um ressentimento
que pesa pra quem carregarFecho os olhos, jogo n´água pra ela,
sem mim, afundar.

Eu vou jogar no oceano
tudo que mais me chateia
se Jaci trouxer maré cheia.

Vou jogar os desenganos.
Eu vou jogar o pesar.
Puxo o barco, entro n´água,

remo até alto mar.
Vou afogar no oceano
todo o mal que me rodeia
se Jaci trouxer maré cheia.




Participação especial:
Guilherme Ramos - Violão 6
e Júlio César no anel
Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Violão de 7: João Marcondes
Palmas: Zéphir, Berada e Ataliba



Faço uma menção especial ao Parceiro Miltom Conceição — o Miltinho — meu primeiro parceiro e quem deveria cantar comigo. Por conta dos desencontros não foi possível, mas faço questão de colocar aqui a outra face da moeda. Evidentemente, o lado coroa diz respeito a ele.
Abraço, Conceição!


Foto da nossa correspondente internacional Bete Efe Silva



9 - Seu Ferrera e o Parmera (D. Germano) 2001


Sempre que o Parmera joga em casa,

com tufão ou sol em brasa, o Seu Ferrera vai.
Rapidinho ele se veste
e embarca
na leste/oeste pra descer na Marechal.

E em direção ao Parque Antártica,

invade um botequim e pede uma Brahma.
E discutindo o certame, ele arrisca um salame
e diz que hoje dá.


Depois da quarta abrideira paga e sai.De botequim em botequim é que ele vai,
pois sabe que a torcida,
que canta e vibra
não é a mesma,
sem Ferrera lá.

Compra o jornal e lê primeiro o
Havalone.
O Chico Lang, rasga e joga em plena pista.

Juca Kfouri, ele despreza friamente dizendo:
“esse esqueceu que é freguês da gente.”


Em frente ao parque, ele avista toda a massa.
É casa cheia para ver o verde escrete.
Encara uma calabresa ao vinagrete
e descobre que o Barbosa hoje, joga com a 7.

Adentra o majestoso da Pompéia
e verifica que a platéia está toda lá.
Para a torcida adversária, do outro lado,
faz um sinal mal educado e vai se sentar.

Mas nessa altura, o verdão penetra a cancha
e ele sambando com o batuque lá da Mancha, diz:
“Que beleza! Que tarde azul!

Hoje não sobra nada para o XV de Jaú.”

Começa o jogo e fica aquele vai não vai.
Toque de lado, passe errado e o gol,
não sai.
Inteligentemente o XV contra-ataca
e distribui
drible da vaca só pra chatear.

Aos 37 Seu Ferrera se levanta.
Contrariado, ele não vibra e nem canta, grita: “Juiz!”


E o juiz apita e aponta o meio campo.
O primeiro tempo foi aquele desencanto.
Toma uma água e mastigando amendoim, diz:
“No segundo tempo a gente vira vai por mim. O XV nunca joga assim.”

Recomeça o jogo e recomeça todo o drama
porque o XV faz um baile em plena grama.
Mas num bicão desesperado que o Benazi deu,
Rocha tava impedido, mas o gol valeu

e Seu Ferrera enlouqueceu.

O Tempo passa e o jogo fica uma tristeza.
Pros jogadores, o empate ta beleza.

Mas ele grita: “Pro ataque seus Jacú!”
É que nervoso, o Seu Ferrera treme mais que o Yamandú.

47 um escanteio pro Parmera.
A torcida faz zoeira só pra ver se dá.
Rocha levanta e alguém enfia a testa...
Silencia o Palestra...
Pra depois vibrar...

E o juiz apita e aponta o meio campo.
Aragonez sai do gramado como um Santo.
E Seu Ferreira, creia você,
foi beber a vitória no ensaio da Nenê.


Participação especial: Everaldo Efe Silva no comentário da arquibancada.
Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Violão 6, de 7 e bandolim: João Marcondes

Deste ex-tricolor,
para o maior palestrino que conheço:
O matildense Everaldo Efe (de Ferreira) da Silva.

Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência.
Sandoval Guedes — locutor oficial de minhas partidas de botão



10 - Deixei meu coração na Vila (D. Germano) 2001


Deixei meu coração
na Vila
mais linda do meu país.
Meu coração lá,
é bem mais feliz,

pois pulsa compassado perto de você,
NENÊ...


O meu amor é uma gota no teu mar azul
que nunca vai secar.
Vai sempre renascer.

Vai sempre carregar,
pra velejar em paz,

o peito do sambista
que te ama mais.


Carrega, Vila Matilde, em teu Samba,
meu amor, minha esperança,
o meu sonho,
a minha paz.


Participação especial:

Júnior Pita - Matildense que fez esta introdução de prima no seu 7 cordas.
Everaldo Efe Silva, Pedro Pita e Guilherme Ramos nos tarois.

Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Chamamentos de Armando da Mangueira




Dedicado à Armando da Mangueira.
Voz que emociona qualquer matildense
e que embalou meus carnavais inesquecíveis.







E, à Seu Nenê sempre,
pois levou a vida a cuidar de um lugar

que enche que honra e orgulho a nossa cidade

e o nosso país: G.R.C.E.S. Nenê de Vila Matilde.



Agradecimento especial ao Rifai que autorizou as Vozes do "Da Manga"



11 - Cordel da Bananeira (D. Germano) 2006


Bananeira só dá cacho

com o broto embaixo.

Bananeira nos dá aula de vida
e nos mostra o que tem importância,
pois o pau que se entorta na infância,
cresce e vira a ganância que nos bate.
Antes d´eu lhe meter um xeque-mate,
diga logo o que pensa do que eu acho,
mas tu use bom senso e consciência,
pra não ser consequência um esculacho.

Bananeira nos dá aula de história.
Nos mostra o que fazer com a bagagem.
Porque a gente está aqui só de passagem
e a bagagem é que reinventa o homem.
Dá destino, caminho, muda o nome.
É assim que a história se renova,
pois se até entre as luas tem a nova,
o que eu digo, o mundo assina embaixo.

Mas se o broto dessa tal bananeira
resolver dar bobeira e ir pra baixo
pra viver só da sombra da primeira
e deixar de fazer seu próprio cacho.
Para o mundo. A lua perde o facho.
Morre triste quem deu a vida inteira
pra fazer como fez a bananeira
que põe broto assim que brota o cacho.






Participação especial:
Seu
Germano e Guilherme Azenha Germano — voz
Cavaquinho e batucada: Douglas Germano
Violão de 6, 7 e Viola: João Marcondes






Coro

O Coro deste Orí foi formado por:
Dulce Monteiro, Mariana Laura e Tarsila,
Everaldo Efe Silva, Júnior Pita, Pedrosa,

Guilherme Ramos, Cuca e João Marcondes.Guitarras, pianos, bandolins, astral e companheirismo:

João Marcondes - O responsável por tudo!
Batucada: D. Germano

Cavaquinho: D. Germano
Violão de 6: D. Germano, João Marcondes, Guilherme Ramos
Violão de 7: João Marcondes e Júnior Pita
Dir. Musical: Cuca



Produção: BAC discos




Dedicatória:
Meu Orí é feito de: Seu Germano, Mary Jo, Tia Rosa, Tia Ana, Renata, Nádia, Dona Ruth, Dalva, Dorí, Miriam, Seu Walter, Armando da Mangueira, Renato Pomba-Gira, Seu Nenê, G.R.C.E.S. Nenê de Vila Matilde, Mestre Divino, Mestre Claudemir, Seu Airton, Luisinho SP, Claudia, Coca, Aninha, Yuri, Betinho, Eduzinho, Nego Ní, Moreira, Lima, Renier, Gordinho, Miltinho, Ney, Roberto, Paulinho, Gilmar, Dedé, Pelé, Carica, Soró, Paqüera, Caio Prado, Seu Zezinho do Banjo, Sílvio Modesto, Borba, Roberta Valente, Ruy Weber, Tânia Viana, Jeziel Adam, Mônica Oliveira, João Poleto, Fernando Faro, Mestre Juca, G.R.C.E.S. Águia de Ouro, o “da Presidência”, Wanduir Durant, Waldir Oliveira, Carlinhos Vergueiro, Everaldo Efe Silva, Cristina Buarque, Elizeu, Paulinho Ribeiro, Arizinho, Dulce Monteiro, Rai, Kiko "Mujhala" Dinucci, Júlio, Rafa Y Castro, Guilherme Ramos, Breno Bahia, Tia Cleides, Edú Chagas,
João Marcondes, Adriana Azenha
e Guilherme Azenha Germano.

Meus exemplos de generosidade e de sabedoria.

Companheiros de caminhada, de sarros, de sambas e histórias.
Meus orgulhos e afetos.
Vocês são minha referência fundamental.



Abraço do Cuca.

23 comentários:

Mariana disse...

ueba!!!!!!!!!!!!!! Delícia de surpresa. Muita força à este trabalho abençoado. beijo apertado, Do!

Tânia Viana disse...

Dodi, não preciso falar do orgulho milenar que tenho de você, mas ainda não te perdoei pela "Canção de Desmeninar"...
Fiquei feliz ao ver que finalmente você resolveu botar o Orí pra girar!
Beijo.
Tâni

Bárbara disse...

Muito Bom! Adorei!

silsil disse...

Douglas
Parabéns!!! suas composições são especiais, ontem ouvi Ona no disco da Ju e do Kiko que está arrebatando TUdo divinamente, e no seu CD, PARTIDO ALTO INTEIRO GENIAL!! bjs bjs
Sil

blog O DILÚVIO disse...

e o link pra download?

Douglas Germano disse...

Estou preparando um pacote com o encarte. Devo disponibilizar no fim de semana.
Abraço,

Morlok disse...

muito bacana o disco.... parabéns

Bruno Ribeiro disse...

Quero escrever sobre esta obra-prima. Mande-me um e-mail, caboclo. Acho que perdi seu contato. No aguardo e parabéns!

Douglas Germano disse...

Fala Bruno.
Havia mandado o link no teu email que eu tenho.Está furado?

Segue o meu:
douggermano@gmail.com

abração

Anônimo disse...

DIZ AHI... DOUGLAS/CUCA .... AINDA NAO TIVE A POSSIBILIDADE DE OUVIR.. MAIS PARTINDO DE TI SO PODE SER COISA .... BOA AQUELA DEIXEI O MEU CORAÇAO NA VILA ME LEMBRO DOS TEMPOS DE MUTIRAO....

PARABENS...ABRAÇOS..
GILMAR...DAS TAMANCAS..

Adriana Azenha disse...

em lágrimas...
com as mãos trêmulas...
com um orgulho profundo.
deixo aqui um pouco da minha raiva escancarada, da minha saudade e do meu grato ouvido meio surdo, meio destreinado, mas sempre pronto a ouvir sua música. Ouço de peito aberto, com sorriso sincero e com o coração apertadinho. Beijo

ALEARTE disse...

Ce sabe que sou seu fã, a bastante tempo, cara! nao sabia desse seu novo trabalho e gostei muito! musica maravilhosa, musica de verdade!!! lindo mesmo! Eu e a Tê queremos ir ao show. avisa nóis. SUCESSO SEMPRE, AMIGO!!! abs

Rodrigo disse...

Salve! Escrevo de Brasília. Onde consigo comprar esta pérola? Abs

Douglas Germano disse...

Olá, Rodrigo!

Por enquanto só está disponível aqui no Partido Alto para download.

Abraço,

Rodrigo disse...

Douglas,

existe a possibilidade de download? Ou somente de ouvir o áudio pelo site?
Abraços

Lucas Schaedler disse...

Douglas,

Conheci teu trabalho buscando a autoria da música "Obá Iná" do álbum de Kiko, Juçara e Thiago.

Devo parabenizá-lo pois estou boquiaberto com a qualidade de suas músicas.

E o link pro download pra poder compartilhar com os amigos?

[]'s

Douglas Germano disse...

Valeu, Lucas!
Obrigado.

O link para download você poderá obter clicando no "share" da barra do tocador em cada uma das músicas.
Grande abraço,

Douglas Germano disse...

Obrigado, Silsil!

Lucas Schaedler disse...

Douglas,

Valeu por disponibilizar as músicas para download!

Escrevo novamente para sugerir que você unifique o download das músicas em um arquivo compactado, para facilitar a difusão do seu disco.

Em respeito ao teu trabalho, não farei isso e recomendarei aos amigos que façam o download diretamente da tua página, mas tenho certeza que um link único só traria benefícios pra todos!

Um abraço e parabéns novamente.

Douglas Germano disse...

Oi, Lucas!
Bem, eu disponibilizei assim, para que as pessoas possam baixar apenas as músicas que gostarem. Outro motivo é que gostaria muito de manter e/ou possibilitar a leitura dos créditos. Aqui no blog as pessoas podem saber a letra, os autores e, principalmente, quem me ajudou a realizar este trabalho. Por este motivo, não gerei um pacote só com os audios para girar por ai. Só por isso.

Abração,

Dr. Funkathus disse...

Ola Douglas,

Eu fiz uma cronica desse disco maravilhoso, muito legal :

http://lelixirdudrfunkathus.blogspot.com/2011/09/lori-de-douglas-germano-afro-sambas-de.html

Débora Oliveira. disse...

MARAVILHOSO!!! ADOREI!! ADOREI!!! VO MOSTRA PRA TODO MUNDO!!! BEIJO

Sarah disse...

Poderia ter a cifra, hein? =)