28 de maio de 2007

COSME 07/03/2005

Cosme é gente boa
Após seis meses sem conseguir apurar responsabilidades, a gloriosa justiça paulista libertou dois dos quatro suspeitos de assassinarem moradores de rua no centro da capital paulista. Os outros dois continuarão presos para apuração de participação em outros crimes. Movimentos assistencialistas talvez dêem as mãos e façam um passeio pelas ruas do centro para aliviar suas culpas, pois de resto, acho que o assunto fica por aí. A morte destes seres humanos interessa a pouca gente.

Para não esquecer de Cosme, o primeiro entre as vítimas, que foi identificado.
O cenário cínico, pedi emprestado a Mario de Andrade:


Cosme andava à-toa,
cinza de garoa
e pra desvairar
dava de cantar
a dor de assum preto em pleno galicismo

Cosme é gente boa
e cinza de garoa
deita arlequinal,
sonha algodoal,
sangra e vira bruma em pleno galicismo

Há quem deixe a Cosme alguma dó
Há quem deixe apenas Cosme só
Há quem deixe Cosme agonizar
nos desertos desta América.

Nenhum comentário: