22 de junho de 2014

Cara feia, pra mim, é medo mesmo



O Brasil vacilou onde podia. Não deve haver outros vacilos. Não um jogo tão ruim como fez contra o México. Muito se fala sobre a impressão equivocada que poderá revelar uma vitória com muitos gols ou muita bola contra Camarões, mas pergunto eu: Será realmente que os jogadores e o Bigode não sabem disto? Duvido.
Dizem que no futebol não há mais bobos. Se a afirmação é verdadeira, não acho que o Brasil tenha perdido o posto de menos bobo entre os menos bobos.
As caras feias da copa não assustam mais. Até porque quem teve Lêla, não vai tremer a Baloteli. A Alemanha penou contra Gana que não mereceu perder para os Estados Unidos. A Holanda penou contra a Austrália. Inglaterra e Espanha já estão em casa. O Chile jogou direito, mas não jogou nada além do que sempre jogou, mas falou mais do que costuma falar ao tratar de "maracanaço" a vitória sobre a Fúria. Perigoso esse negócio de falar demais. A Colômbia é boa surpresa, a Costa do Marfim não é novidade, pois tem bons e conhecidos jogadores. Uruguai e Itália, resolverão suas permanências entre si. Itália sempre aos trancos em copa do mundo, pode sair contra o Uruguai ou pode ser a campeã do mundo. Nada será novidade. A França venceu Suíça e Honduras atropelando (?). Parece que seu teste real será contra o Equador. Os manos Argentinos, dependem mesmo do Lionel. Foi o time que jogou o futebol mais chato entre os jogos que assisti. Parece previsível, lento.  Portugal terá jogos difíceis contra Gana e EUA. Cristiano Ronaldo terá duas chances para fazer jus à fama, mas o time também depende demais de seus lampejos e a Bélgica elogiada por ter idos bem nas eliminatórias, desculpem, mas não fez mais que a mínima obrigação num grupo com Coréia do Sul e Argélia.

O Brasil tem um técnico que sabe fechar se precisar. Tem um atacante veloz, hábil e imprevisível, tem um meio campo capaz (ainda não jogou o que pode), tem uma dupla de zaga que seria titular em qualquer outra seleção, é um time jovem e isso poderá fazer diferença em jogos com maior desgaste físico, joga em casa e quer ganhar. Embora tenha um "diferente", não me pareceu que a seleção joga para o Neymar e isso é muito bom. Eu, metido a saber de futebol, arrisco dizer que não há bicho papão que tenha surgido nesta copa que nos assuste. Acho que os de maior cara feia vão é mexer nos seus esquemas para marcar nosso time. Vão é se armar pra contra-ataque, pois sabem que, se saírem, vão passar o jogo correndo atrás de nosso meio campo e ataque. Não é a seleção de encher os olhos, mas me digam, qual delas foi? Todas tinham pontos questionados pelo público e cronistas. Essa, inclusive, parece ser a menos questionada. Desde o técnico até os suplentes.
Agora é pau no gato e que venham os próximos de tamancos ou ponchos, vão ter trabalho.

Foto: Lela comemorando um entre os gols que fez jogando pelo Coritiba.
Costumava comemorar seus gols fazendo careta. Brasileiro é melhor até fazendo careta.
  

Um comentário:

Anônimo disse...

mal posso esperar seu proximo post comentando o massacre de 7 a 1. gosto de ler o que voce escreve. sempre.