22 de março de 2010

CUIDADO!!! Você pode NÃO ser tão diferente assim.

























Talvez fosse este o caso de acionar a defensoria pública, OAB, sindicatos, tudo. Interpol, cia, polícia federal, promotor de justiça, centrais de defesa dos direitos humanos etc. Tudo para descobrir a origem deste tanto de e-mails que recebo com mensagens preconceituosas, ofensivas, grosseiras e falsas sobre a figura do Lula. Eliminei propositalmente o posto, pois as mensagens não são de cunho ou crítica ou análise política, mas sim, contra a pessoa.
Quando são contra a pessoa e com o teor que apresentam, são também contra mim e contra a maioria dos brasileiros.
O Fato de ter origem fora da região sudeste, mais especificamente de São Paulo, passa a ser um defeito. Mas esta “ignorânça” não é um privilégio de São Paulo, pois o mesmo pensamento equivocado habita muitas cabeças da região sul do país.
O Lula — esqueça-se o presidente — representa o povo brasileiro em sua maioria. Aqueles que formam a cara do país e da qual, o arrogante centro financeiro e de poder se envergonha. Se envergonha, entre outras coisas, por ser absolutamente oco, de fachada, materialista e profissional no pior sentido da qualidade. Este centro é feito de pessoas que não têm paz quando estão sozinhas, pois precisam ser vistas, frequentar, estar com chiquês e marcas, e cabelos e óculos. Falar de cinema, das férias em Paris, discutir se Sourbone ou Harvard, se Manhatan ou Londres, se Tejo ou Sena, se Cabernet ou Merlot harmonizam melhor o cinismo. Têm identidade forjada na base do “ser o que se parece ter” e vivem em função de uma massagem no ego. Tudo pela mais pura e banal vaidade. E esta, não se autoalimenta, precisa de outro com as mesmas qualidades e desejos. Ou seja — como diz Lula — é uma frivolidade, uma postura das mais rasteiras e rasas. É isto que dita o quem é quem no sudeste e que, com seu poder financeiro, quer ditar o quem é quem no país. Uma minoria infame.
Agora, falar destes aí é fácil, difícil é falar daqueles que têm o mesmo nível ou origem e que, como um papagaio de pirata, reproduzem os preconceitos de peito aberto, esquecendo-se de que seriam ou serão vítimas dos mesmos muito rapidamente.
Basta observar um pouco e se verá trens lotados já as 04:30h da manhã, marteladas e serras as 07:00h, carrinhos de hot-dog e restaurantes a quilo lotados as 12:00h, escolas e cursos lotados sendo esvaziados as 23:00h. É Um povo valente paca.
Se num efeito de computador fossem apagados — delete — todos estes, todos os que não fizeram faculdade, todos os que têm alguma mutilação em acidente de trabalho. Todos os que conjugam um verbo errado, todos os que têm a pele mais escura e/ou a cabeça mais chata. Todos que bebam cachaça, que acompanhem as notícias do time pelo rádio e que troquem o “L” pelo “R”. Todos os que vão para o trabalho com algum resquício de barro no sapato, que gostem de pagode, churrasco e feijoada. Todos os que usam medalhinha de santo e que fazem festa de casamento com sanduíche de carne desfiada e muitos dos que encaminham estes tipos de e-mail que venho recebendo — delete. O país estaria vazio na manhã seguinte e os ilustres “qualificados”, sem função, pois não poderiam mais exercitar o seu poder. Não poderiam mais subjugar ninguém, desqualificar para se sobrepor ao invés de simplesmente expor seus pensamentos tão qualificados — delete — acabou. E foram vocês, “C.Os.”, moderninhos, hypes, atingidos no coração, “ou seja”, na vaidade. Os loirinhos e as loirinhas de olhos azuis do sul que pegam na enxada o ano inteiro também — delete — dançariam.
Que linda suécia viraria o Brasil. Para ficar perfeito, só quatro horas de sol por dia. No verão.
Imaginem um país só de “qualificados” deste tipo.
Que chato.
Neste cenário, seria imenso o número de suicídios entre os “qualificados” que não perderam a humanidade.
Manchete: “Atirou-se na lagoa Rodrigo de Freitas na tarde de ontem o advogado Rubem Fonseca” — olho de matéria — bilhete de despedida no bolso da camisa continha trecho da marcha carnavalesca “Rancho da Goiabada” de autoria do médico psiquiatra Aldir Blanc. Deixa filhos e livros.
Ou esta: “Atirou-se da ponte estaiada nesta manhã o médico paraense Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira” — olho de matéria — Durante a trajetória do corpo no ar, gritou impropérios a respeito de Kaká. Deixa letras de samba, gols e uma rodada de chopp paga para os amigos no Pinguim.

Para quem não sabe, Hitler era assustadoramente qualificado. Seus predicados enchiam todas as medidas. Acabou com todos que não se enquadravam em seu preconceituoso e desumano “gabarito”.

Que medidas políticas sejam discutidas e questionadas é absolutamente salutar. Que preconceitos sejam utilizados para a “qualificação” de um ser humano para isto ou aquilo é nefasto.

Por minha parte, mais feliz um pais que tem Bispo do Rosário, Cartola, Mestres Valentim, Vitalino e Salustiano, Profeta Gentileza, Aleijadinho, Patativa do Assaré, Luiz Gonzaga, Nelson Cavaquinho, Chico Mendes, Plínio Marcos, João do Vale, Lula, Diolinda, Antonio Conselheiro, são inúmeros.
Estes, fizeram coisas que os “qualificados” vão passar a vida tentando, apenas tentando entender.

Sem Mais,

Douglas Germ — delete.

2 comentários:

Everaldo Efe Silva disse...

Não lida nada melhor a respeito do preconceito social nos últimos tempos. Parabéns, Douglão! E já peço licença para reproduzir este texto em outro blogue, claro que com a devida menção à fonte.
Abração e muito obrigado!

Douglas Germano disse...

Valeu, Braga!
Realmente cansa.