31 de outubro de 2008

Saci, rala-o-im deles


A coisa mais desgastante em determinadas situações é ter que explicar o óbvio a pessoas em desvario. Especialmente se estas pessoas detém alguma forma de poder e o exercita. Quando se argumenta em favor da festa das bruxas americana utilizando o apelo da globalização, da troca de culturas que é enriquecedora, sem dúvida, mas não é este o caso, denconsidera-se um processo de dominação cultural que é muito anterior. Um processo que desaguou em relação passional entre algoz e presa. Um processo que gerou argumentos em favor desta relação e em favor das transformações e subprodutos por ela gerados. Um processo que subjuga, ridiculariza o alheio para seduzir com facilidades, consumo e superficialidades. Lyndon Johnson sabia tudo. Na sua reveladora e emblemática frase "É preciso conquistar corações e mentes", deu a receita exata do que o capital e o poder deveriam fazer. Fizeram e bem. Tanto que, hoje, dia das bruxas, as escolas estão cheias de morcegos. Os professores, pedagogos, psicólogos emprestam suas cabeças de abóboras (ops) suas cabeças a abóboras e vão divertindo a molecada.

– Deixa. Eles gostam! – diz a sogra, a tia, a professora, o vizinho, a tv.
Uma jogada comercial e sem nenhum sentido ganha ares de inocência.

Lyndon sabia tudo. A frase, provavelmente é de um redator de discurso que ficou anônimo. Eu uso o Lyndon aqui, simbólicamente, pois trata-se de assunto imensamente maior. Já havia lido esta frase há muito tempo e ficado com um incômodo, com uma bola no estômago.
Creiam vocês que estes incomodos transformam-se em dores físicas quando se é pai e vê seu filho largando sua mão para segurar a mão do algoz.

Meio cansado de passar por louco, solicito que me deixem quieto neste espaço. Quem discorda, se não se importar, que se dane, manifeste-se em outro lugar. Desenhe abóboras no caderno de seu filho etc.

Aos coordenadores pedagógicos que começam o mês de outubro excitados, loucos para encher a escola de morcegos por causa do rala-o-im, como se não houvesse outros assuntos para tratar, informo:

 E o mês de outubro, é o mês do Círio de Nazaré, do dia da Padroeira e do dia da Criança. Já é bastante, não!?

P.S.: a escola, em que meu filho estuda, não faz Rala-o-im.

2 comentários:

Anônimo disse...

É rapaz....Interessante que para muitas pessoas só é "razoável", "compreensivo" ou "educado" quem se submete calado a imprópérios: tais como o do 'ralo im'. Eu, por exemplo, evitei as tais dores físicas nesse domingo por me recusar a ouvir ("entender") comentários racistas num butiquim da Vila Matilde. Tá certo que eu deveria ter denunciado o infeliz, mas me retirar após dizer que o dito era um racista e que jamais me dirigisse a palavra novamente, já foi um avanço. Logo eu, que quase me acostumei a engolir sapo de tudo quanto é gente que tem mais é que ir para a pqp mesmo.

abraço,
Polozzi

Anônimo disse...

Deitou!