29 de maio de 2007

DIÁLOGO CONHECIDO - 17/04/2007

Depois de ter digitado o número do serviço, o número do telefone com DDD, o número do CPF e escolhido a opção desejada, alguém atendeu:

— Fulana de Moraes, boa noite! Com que eu falo
— Boa noite! É Douglas
— Boa noite, senhor Douglas em que posso ajudá-lo?
— Quero informar roubo de cabos. Aqui onde moro acontece todos os dias depois que escurece.
— Com quem eu falo?
— É Douglas
— Senhor Douglas, o senhor pode me dizer o número do telefone?
— Eu já informei!
— O sistema não registrou...
informei o número novamente.
— O senhor pode me confirmar o cpf do titular da linha?
— Mas eu já digitei...
— Informe novamente, por favor...
Informei novamente...
— O telefone do senhor está com problema?
— Está mudo porque os cabos foram roubados...
— Certo. Eu vou fazer uma solicitação para que o técnico vá até sua casa verificar.
— Mas não precisa vir até minha casa o roubo recorrente acontece na estrada, há dois km daqui! Eu não estou solicitando manutenção. Estou informando roubo de cabos como faço, dia sim, dia não, há um ano e meio. Desde que tenho este telefone.
— Aguarde um momento, por favor...
Neste momento a ligação costuma cair e todo o processo recomeça, mas vamos em frente....
Este momento de espera, geralmente dura 5 ou 6 minutos. Enquanto isso tive que aturar uma espera musical mais chata que missa. Uma voz masculina cantando onomatopéias "Tum paô....tum paô"
— Alô senhor douglas!?
— Sim?
— Só mais um momento.
E dalhe o "tum paô..." durante mais 4 minutos.
— Senhor Douglas?
— Sim!
— Mais um momento que eu vou "estar passando" o número de protocolo.
"Tum...paô.......Tum...paô" Na hora do protocolo invariavelmente a espera é de 6 a 8 minutos. E eu, sem perceber, já batucava com a ponta dos dedos acompanhando o "Tum...paô".
— Senhor Douglas, seu telefone está com algum chiado ou está completamente mudo?
Olha gente, não tem quem não pense em um puta que o pariu, em coisas envolvendo a mãe do operador...
— Minha filha, eu estou (aumentando o tom) informando roubo de cabos. Entendeu?
R o u b o d e c a b o s!!!! Meu telefone, quando o cabo está lá, funciona bem, não há chiado, zumbido etc. Mas o cabo precisa estar lá e eu estou lhe informando que NÃO ESTÁ!!! Você entendeu agora!
— Sim senhor Douglas! Mais um minuto por favor...
"Tum...paô que me pariu......."Tum paô......" 5 minutos
— Senhor Douglas! Anote o número do protocolo, por favor
— Pode falar...
— 1 2 3 4 5 6 7 8 9... O técnico "estará indo" até sua residência para verificar o que está acontencendo.
— Mas eu já não expliquei o que está acontecendo (ira, ódio tudo reunido)
— Sim senhor, mas o técnico é que tem que verificar qual o problema na sua residência.
— Tá bom minha filha, tá bom...
— Posso lhe ajudar em mais alguma coisa?
— Não, minha filha, você não deu conta nem desta.
— A telefonica agradece a sua ligação, boa noite.
— Desligo.
Fiquei pensando em tudo o que poderia ter dito quando ela perguntou em que mais poderia me ajudar. Por exemplo: "Desça ao térreo, vá até o ponto de ônibus e dê sinal quando aparecer o "Expresso Inferno via corredor"
Mas no final, fica assim; três horas de telefone funcionando se muito e pagando a assinatura mensal para que o serviço funcione. Sem contar a detestável sensação de ter sido feito de bobo, de impotência e de estar sendo lesado.
Poderia servir de consolo, mas só me dá mais raiva saber que isto não acontece só comigo, mas com todos que tem um telefone em casa. Meu problema? Não foi resolvido!

Nenhum comentário: